Avançar para o conteúdo principal

Texto argumentativo - Cláudia Carvalho

Aqui está tal como chegou:

A pena de morte, uma realidade presente e legalizada em vários países, é uma sentença que permite retirar a vida a uma pessoa que cometeu crimes considerados graves o suficiente para acabarem com a vida desta.

A pena de morte, uma vez aplicada é irreversível. Embora possa acontecer pouco frequentemente, a possibilidade de erro existe, podendo assim condenar-se e matar-se um inocente, não havendo a capacidade de reverter o acto, voltar atrás.
Quanto à pena de morte aplicada a verdadeiros criminosos, esta deveria ser repensada pois mesmo apesar das pessoas terem cometido crimes tremendos, ao executá-las, estão a tirar-lhes o direito de reabilitação e arrependimento. As sentenças de prisão podem ensinar a estes criminosos o verdadeiro significado da vida e talvez ao pouparem a vida do condenado o façam pensar na segunda oportunidade que lhe foi concedida e no valor inimaginável que a vida tem. Para os ajudarem nesta espécie de reabilitação, as penas pedagógicas podem ser uma grande ajuda.
Deste modo, penso que a pena de morte não é o mais razoável a ser feito, uma vez que não temos o direito de tirar a vida a alguém. Face aos crimes cometidos que geralmente englobam mortes, é necessário reflectir no estado de sanidade mental dos criminosos, que vulgarmente se encontra danificado, devendo por este motivo serem tratados e não mortos.
Por estas razões, pelo facto de vivermos no século XXI e por sermos uma sociedade civilizada, com normas estabelecidas e direitos humanos, sou contra a pena de morte.

Cláudia Carvalho