Avançar para o conteúdo principal

A literatura como possibilidade de uma reflexão filosófica

A literatura assim como já havia sido dito pelo filósofo Aristóteles é uma das formas artísticas de representação de algo transcendental e real. Desta forma, o fazer literário exige por assim dizer, um esforço não apenas de significação e construção de palavras, mas algo para além das fronteiras da própria linguagem. 
O filósofo Aristóteles, percebeu na poesia especificamente, um gênero literário que mais se aproxima da filosofia percebendo-a de maneira artística. Por que Aristóteles no séc. IV a.C. discutiu algo que atualmente parece ser tão banal aos olhos de alguns? Se para o estado que incutiu na cabeça dos súditos que a arte não possui utilidade prática e imediata, um pensamento filosófico-poético percebido por Aristóteles jamais poderá ter o espaço que deve, pois o estado o substituiu pela ciência.
O pensador percebeu que há uma diferença básica, mas primordial entre o historiador e o poeta. Para Aristóteles o poeta é aquele que percebe diferentemente do contador de histórias que simplesmente copia o que aconteceu, um não-acontecido, mas o que poderia acontecer de modo inevitável. 
Portanto, o historiador para o filósofo narra fatos particulares, enquanto a poesia encadeia os acontecimentos imaginados segundo suas causas inevitáveis, ou seja, necessárias. Neste sentido, a poesia tende para o conhecimento universal que é um dos objetivos máximo da filosofia. 
Um texto literário, portanto, causa um "desvelamento" da realidade humana e, o faz de forma artística, fazendo com que o leitor crie raízes, podendo assim, refletir o transcendental e o real a partir de várias perspectivas. Desta maneira podemos inferir que a literatura é a expressão do homem (no sentido de razão, ordem, real explicitado anteriormente no texto) e do humano (no sentido de irracional, histérico, com todos os sentimentos e impulsos vitais). Nas palavras de um dos mais influentes e polêmicos poetas da língua inglesa, Ezra Pound (1885-1972) o poeta explicita o que é isto? ? a literatura. 
Literatura é linguagem carregada de significados.
Grande literatura é simplesmente a linguagem
carregada de significado até o máximo grau possível. 
A arte literária, ao passo que aborda temas filosóficos, se mostra como fonte de reflexão carregada de humano e vida; em seu mais alto grau. 
O filósofo Friedrich Nietzsche (1844-1900), influente e, sobretudo em uma filosofia carregada de aforismos em seus escritos, tinha uma visão sobretudo questionadora e provocativa do que sistemática. Aquele buscou nos deuses da mitologia grega temas para descrever com total propriedade textos literário-filosófico, mesmo a princípio buscando uma explicitação e descrição de um texto filológico, buscando assim, profundas intervenções para alguns fatos levantados pela história.
Neste sentido, para filósofo, o deus Apolo e Dioniso, marca um pensamento subjetivo e emocional ante os temas tratados pela filosofia em textos literários, pois estes deuses são contrastes do humano e da própria vida que pulsa. Seguramente as escolas literárias variam entre estas duas posturas levantadas pelo filósofo. 
O pensamento filosófico-poético esteve presente desde a mitologia grega, passando pelo pensamento arcaico até os dias atuais, sem precisamente ter uma data para tal acontecimento. Os homens com inquietações sobre o mundo dado, presente, resolvem desvendá-lo e, as palavras tornam-se as armas de seu combate para tais explicações do mundo real. O fascínio do homem com o mundo torna a palavra o maior "imperador" para descrição e entendimento sobre o humano e tudo o mais que o compõe sejam em termos sociais, político e culturais. 
O pensamento filosófico marcou definitivamente a história e seus moldes de comportamento social, político e cultura de um povo. Em todos os períodos da história universal, a filosofia portanto, sempre esteve presente por explicitar fatos e comportamentos humano de forma magistral. 
Destarte, várias áreas apoderaram-se deste estilo de pensamento tão particular do homem grego e posteriormente do pensamento alemão para contar de forma contundente uma idéia impulsiva que teima sair. Na poesia não foi e não diferente. O poeta consegue em um poema carregado de metáfora descrever toda angustia alegria e sofrimento que marcaram determinada época. Portanto, a junção de um pensamento filosófico-poético nos leva a olhar e perceber o mundo de maneira mais sofisticada por assim dizer.
A escrita amarrada de alguns textos que se diz poético-filosófico, não nos permite o que o filosófico Aristóteles e, sobretudo Nietzsche nos propôs: uma escrita artística carregada de humano e vida. Portanto, as possibilidades de reflexão são muitas, mas poucas conseguem nos dar ao menos possibilidade de reflexão altamente desmistificada e contrária as formas e fatos do mundo dado.
in webartigos.com