Avançar para o conteúdo principal

A morte do Jornalismo

No final do séc. XX, com a massificação da internet no mundo ocidental, dizia-se que o online mataria o jornalismo em papel. Afinal, passados tantos anos, podemos observar que o que morreu não foi o jornalismo em papel, mas sim o jornalismo em si mesmo.
Grupos empresariais a comprarem órgãos de comunicação social (OCS) não é de hoje, é de sempre. No entanto, hoje temos os "lobbies" a controlar a forma como as notícias são feitas. Hoje, a única coisa que interessa é a viralidade dos conteúdos — só a notícia que obtém muitos comentários e "shares" e "likes" nas redes sociais é a boa notícia. Hoje, as instituições que nos deveriam querer informar, querem apenas a nossa atenção e o nosso clique.
Em apenas 15 anos a internet matou o jornalismo. Com algumas excepções, o jornalismo moderno gira à volta do "clickbait". Quantas vezes não vos aconteceu estar num site de notícias só a ver o que se passa e clicar num artigo porque tem um título chocante ou impactante e depois, quando lêem o mesmo, ele até se contradiz? Isso é o mundo do "clickbait". Não importa muito se o jornalismo tem qualidade ou não, não importa minimamente se o título é uma mentira descarada. O que importa é muita gente ler aquelas notícias, o que importa são as estatísticas.
Raúl Testa in pt.publico.pt