Avançar para o conteúdo principal

Fábula da avaliação

“O dono de um talho foi surpreendido pela entrada de um cão na loja. Enxotou-o, mas o cão voltou logo de seguida. De novo, tentou enxotá-lo mas reparou que o cão trazia um bilhete na boca. Pegou no bilhete e leu: ‘Pode mandar-me 12 salsichas e uma perna de carneiro, por favor?’
O cão trazia também dinheiro na boca, uma nota de 50 euros. Pegou no dinheiro, pôs as salsichas e a perna de carneiro num saco e colocou-as na boca do cão. O talhante ficou realmente impressionado. Como já estava na hora, decidiu fechar a loja e seguir o cão. Este começou a descer a rua e quando chegou ao cruzamento depositou o saco no chão, pôs-se de pé e carregou no botão para o sinal ficar verde.
Esperou pacientemente, com o saco na boca, que o sinal ficasse verde para peões e a pudesse atravessar. Atravessou a rua e dirigiu-se a uma paragem de autocarro, sempre com o talhante a segui-lo.
Na paragem, o cão olhou para os horários e sentou-se à espera do autocarro. Quando o autocarro chegou, o cão foi até à parte da frente para confirmar o número e voltou para o seu lugar. Chegou outro autocarro e o cão tornou a olhar. Vendo que aquele era o autocarro certo, entrou.
O talhante, boquiaberto, continuou a seguir o cão. Mais adiante, o cão levantou-se, ficou em pé nas duas patas traseiras e carregou no botão para mandar parar o autocarro, tudo isto, com as compras ainda na boca.
O talhante e o cão caminharam pela rua até que o cão parou à porta de uma casa pondo as compras no passeio. Virou-se, então, um pouco, correu e atirou-se contra a porta. Tornou a fazer o mesmo, mas ninguém respondeu. Então, contornou a casa, pulou um muro baixo, foi até à janela e começou a bater com a cabeça no vidro várias vezes. Caminhou de regresso para a porta e, de repente, um tipo enorme abriu a porta e começou a espancar o pobre animal.
O talhante correu até o homem e impediu-o, dizendo:
- ‘Deus do céu homem, o que é que está a fazer? O seu cão é um génio’. O homem respondeu: - ‘Um génio? É a segunda vez nesta semana que este cão estúpido se esquece da chave!’
Moral da história? Podes continuar a exceder as expectativas, mas… a tua avaliação depende sempre da competência de quem avalia.
Quanto a isso… nada podes fazer”.
Autor desconhecido