Avançar para o conteúdo principal

O que é o sentido?

"O que é o sentido? Defendi (…) uma concepção que combina aspectos de duas perspectivas amplamente perfilhadas. Como a perspectiva da realização, que nos diz para encontrarmos as nossas paixões e nos entregarmos a elas, a minha perspectiva reconhece uma componente subjectiva no sentido da vida. Podemos dizer que falta sentido a uma pessoa alienada da sua vida, cujas actividades não lhe dão alegria, nem auto-estima. Como a perspectiva que associa o sentido com o envolvimento em algo «mais vasto», contudo, a minha abordagem reconhece também uma componente objectiva. Segundo aquilo a que chamei perspectiva da realização apropriada, uma vida tem sentido na medida em que as suas atracções subjectivas forem coisas ou metas que sejam objectivamente meritórias. Isto é, a nossa vida tem sentido na medida em que dermos connosco a amar coisas dignas de amor e em que formos capazes de fazer algo positivo quanto a isso. Uma vida tem sentido, como também o afirmei, na medida em que há uma entrega activa e amorosa a projectos de mérito.
(…) A minha caracterização abstracta do sentido deixa muitas questões em aberto e muitos desafios por enfrentar. Talvez não seja surpreendente que as questões mais urgentes e os desafios mais sérios tenham a ver com o lado «objectivo» da proposta; ou seja, com a categoria a que me referi indiferentemente em termos de apropriado (para a realização), merecedor (de amor) e de valor independente, assim como objectivo. Que projectos, queremos nós saber, são apropriados para nos realizarmos? Que objectos merecem amor? Como determinamos se uma actividade é apropriada ou merecedora ou de valor independente? Já agora, porquê aceitar a legitimidade destes juízos?"

Susan Wolf - O sentido na vida e por que razão é importante. Trad.  Desidério Murcho. Lisboa: Bizâncio, pp. 61-62.