Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2011

Pensar a vida (... vale a pena ler)

"Pensar é juntar e acertar o que trazemos dentro e quanto nos rodeia ou por nós passa. É ir construindo mapas de nós e do mundo, conscientes de que do mapa ao lugar se desenham muitas linhas, mas sempre na distância entre a representação e o representado, o sonhado e o vivido.
Progredimos nesta aventura não de certeza em certeza, mas por aprofundamento e rasura, por tentativas. Porque tentar, é já acreditar.
Pensar a vida exige diálogo, connosco e com os outros. Outros olhos descobrem paisagens diferentes das que vemos.
São diálogos ou conversas os textos que aqui se guardam. São procura de horizontes maiores, de direcção ou sentido, cabendo a mim os porquês e a Vasco Pinto de Magalhães os porque(s), ou melhor, os para(s), visto que a pergunta, não raro, deve ser corrigida por um para quê.
A razão e a evidência demonstram que somos mortais. E se pensar a vida fosse apenas etapa de um caminho maior e pensar a morte fosse, então, pensar a vida e assim aprender a morrer?…

Os velhos são os verdadeiros rebeldes

"Os velhos são os verdadeiros rebeldes. Os jovens, por muito rasgados que estejam os blusões de cabedal, querem sempre conformar-se com qualquer coisa. Querem fazer parte dum movimento. Querem fazer parte de uma revolução ou de uma comunidade. Os velhos só querem fazer partes. De preferência gagas. Os velhos não têm nada a perder. Podem dizer e fazer o que lhes apetece. É por isso que os velhos, mais do que os novos, dizem quase sempre a verdade. Nós é que podemos não querer ouvi-la. Há-de reparar-se que aquilo que os velhos dizem é que «a vida é uma chatice». Nós dizemos que eles estão senis. Mas eles é que têm razão."

Miguel Esteves Cardoso, in 'As Minhas Aventuras na República Portuguesa´