Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2012

Estudar filosofia: uma abordagem (Desidério Murcho)

"Alguns estudantes de filosofia sentem-se perdidos perante a imensidão de bibliografias e filósofos. Por onde começar? Como fazer?
(…) Eis uma metodologia diferente de estudo da filosofia. Começa-se com os problemas, e não com as opiniões das autoridades. O ponto de partida é um problema ou família de problemas. Os melhores problemas ou famílias de problemas por onde começar são os mais gerais e centrais da filosofia. Em vez de começar por estudar o problema de saber se há ou não uma linguagem privada, começar por estudar o problema geral do significado: o que é isso de uma sequência de sons ou marcas num papel terem significado? Eis outro exemplo: em vez de começar por estudar a diferença entre o utilitarismo das regras e dos actos, começar por estudar o que será afinal o bem último, se é que há tal coisa, e que melhores candidatos há. Isto significa que se dá muita importância a bons livros introdutórios, que apresentem didacticamente estes problemas mais gerais, assim como as pri…

Noções básicas de lógica (apontamento)

A lógica e a coerência do pensamento e do discurso

“Aquele animal é um cão e não é um cão.”
A frase é incoerente, dizemos que “não tem lógica”. Conduzimos o nosso pensamento e discurso segundo determinadas “leis” da lógica, princípios e regras que os tornam coerentes. São estas as condições que nos permitem relacionar e estruturar a linguagem e até a acção de forma coerente. Há uma ordem lógica e portanto racional que é preciso seguir.
Definição de Lógica
No sentindo etimológico, ela é a ciência do ‘logos’. O termo ‘logos’ de origem grega , significa : palavra, discurso, pensamento, razão, fogo ou luz. Como tal, a lógica terá por objecto o pensamento e o discurso, preocupando-se com a sua correcção. É a disciplina filosófica que se dedica ao estudo das leis, princípios e regras a que deve obedecer o pensamento e o discurso; terá em consideração o resultado dos processos do pensamento: o pensamento como produto, traduzido em enunciados. A lógica permite estabelecer essas regras, de modo …

Apontamento para apoio (11º ano)

Introdução Ao defender as nossas ideias queremos argumentos bons. Só assim os argumentos serão persuasivos. E para serem persuasivos, as premissas têm de ser mais plausíveis do que a conclusão. Uma premissa é plausível quando a aceitas com base no conhecimento que tens acerca do que está a ser discutido. Diz-se que isso é o teu estado cognitivo. Mas para teres argumentos bons precisas de argumentos sólidos. Ora, para um argumento ser sólido, terá de ser válido e ter premissas verdadeiras. Chegado aqui, podem ocorrer-te algumas perguntas e uma delas é esta: que verdades temos à nossa disposição quando queremos discutir uma questão com argumentos sólidos? O objectivo desta lição é responder a esta pergunta. Espero que no fim fiques esclarecido acerca do tipo de verdades que são mais úteis quando queremos saber como é o mundo e como funciona e que a partir daí te sintas mais capaz de avaliar criticamente argumentos. Tipos de verdade Considera o argumento 1: João está ou não está a ouvir o Qu…

Há razões para adotar uma atitude crítica? - Simon Blackburn

«(…) há sempre pessoas prontas a (…) mostrar-nos no que devemos acreditar. As convicções são contagiosas e é possível convencer as pessoas de praticamente tudo. (…) Quando essas convicções implicam o sono da razão, o despertar crítico é o antídoto. A reflexão permite-nos recuar, ver que talvez a nossa perspetiva (ou, eventualmente, a dos outros) sobre uma dada situação esteja distorcida ou seja cega. Nos últimos 2000 anos, a tradição filosófica (…) tem insistido na ideia de que uma vida não examinada não vale a pena ser vivida. Tem insistido no poder da reflexão racional para descobrir o que há de errado nas nossas práticas e para as substituir por práticas melhores. Tem identificado a reflexão crítica com a liberdade – e a ideia é que só quando nos conseguimos ver a nós mesmos de forma adequada podemos controlar a direção em que desejamos caminhar.»
Simon Blackburn, Pense – Uma Introdução à Filosofia, Ed. Gradiva

"A filosofia é uma atividade" - Nigel Warburton

«A filosofia é uma atividade: é uma forma de pensar acerca de certas questões. A sua característica mais marcante é o uso de argumentos lógicos. A atividade dos filósofos é, tipicamente, argumentativa: ou inventam argumentos, ou criticam os argumentos de outras pessoas ou fazem as duas coisas. Os filósofos também analisam e clarificam conceitos.

Que tipo de coisas discutem os filósofos (...)? Muitas vezes examinam crenças que quase toda agente aceita acriticamente a maior parte do tempo. Ocupam-se de questões relacionadas com oque podemos chamar vagamente ‘o sentido da vida’: questões acerca da religião, do bem e do mal, da política, da natureza do mundo exterior, da mente, da ciência, da arte e de muitos outros assuntos. Por exemplo, muitas pessoas vivem as suas vidas sem questionarem as suas crenças fundamentais, tais como a crença de que não se deve matar. Mas por que razão não se deve matar? Que justificação existe para dizer que não se deve matar? Não se deve matar em nenhuma circ…

Mixórdia de Temáticas: História da Filosofia em folclore (Para começar o ano com um sorriso ;) )

Estamos no início de um novo ano letivo ou a Escola Pública vai fechar?

Inicia-se na semana de 10 a 14 de setembro, o ano letivo 2012/13. Enquanto comentador, o atual responsável pelo ministério da educação, Nuno Crato, defendeu muito mais do que Plano Inclinado para a Educação. Tendo chegado mesmo a sugerir a implosão do Ministério da Educação. No entanto, a passagem direta de comentário televisivo para responsável pelo Ministério da Educação rapidamente o fez pôr de lado alguns dos lugares comuns que gratuitamente emitia nos comentários que ia fazendo. Mas, se deixou de lado os lugares comuns não “meteu na gaveta” os preconceitos contra a Escola Pública sendo o “arranque” do atual ano letivo marcado por um conjunto muito significativo de mudanças que colocam em causa a Escola Pública enquanto tal. A título de exemplo, o nosso município – Vila Nova de Gaia – foi exemplar na forma como tem gerido a Educação – o processo de criação dos Mega agrupamentos, além do conteúdo, absurdo, das propostas de agrupamento implementadas, foi feito nas costas dos encarrega…