Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2011

BIOÉTICA - Eutanásia e suicídio assistido - (Jornal Público)

"O principal argumento daqueles que defendem a eutanásia incide sobre o direito que o indivíduo tem, em determinadas circunstâncias – normalmente associadas a um forte sofrimento físico ou psíquico decorrentes de uma doença incurável – de poder decidir pôr termo à sua vida. Julgo que a morte não é em si um direito; antes uma inevitabilidade. Aquilo que todo o ser humano tem direito é de viver e morrer com dignidade.
Outro argumento para justificar a eutanásia corresponde “ao sofrimento da pessoa”. O sofrimento é muitas vezes visto como algo indigno, desumano, motivo de vergonha e que por isso deve ser banido a qualquer preço, pelo que a eutanásia passa ser a vista como um gesto de compaixão. Esta “piedade hipócrita” esconde, por vezes, uma injustiça e um sentimento egoísta, uma vez que considera que os mais fracos, as vítimas do infortúnio, aqueles que adoecem ou simplesmente envelhecem, já não têm lugar nesta sociedade. Ou seja, no caso de surgirem ideias de suicídio nestes indiv…

BIOÉTICA - Testamento vital (Jornal i)

"Os doentes vão poder decidir os tratamentos que querem receber antes de perderem a consciência. Partidos concordam que projectos sejam discutidos na especialidade
O testamento vital vai permitir a um cidadão expressar a sua vontade sobre tratamentos médicos.
A declaração antecipada de vontade de um doente sobre os tratamentos médicos a receber posteriormente, o chamado testamento vital, vai ser uma realidade. Todos os partidos com assento parlamentar estão de acordo a que os quatro projectos sejam discutidos na especialidade, ponto por ponto.
As quatro propostas - do PS, PSD, CDS e BE - permitem aos doentes decidir, antecipadamente, os tratamentos que querem receber num futuro em que não tenham capacidades de decisão. Actualmente são os familiares a decidir sobre os tratamentos a aplicar a um doente, quando este não está consciente (em coma, por exemplo). Assim, os partidos querem acautelar que é a vontade do doente que prevalece através de uma declaração que cada pessoa faça ante…

BIOÉTICA - definição

Termo de recente criação (E.U.A., anos 60) e usado ora com o significado amplo sugerido pela etimologia – área das questões éticas relacionadas com a vida -, ora em sentidos mais restritos, como o das aplicações da biologia e da medicina à vida humana. Para designar este último sentido, alguns autores (sobretudo europeus) usam o termo ética biomédica. Os avanços científico-técnicos verificados desde há várias décadas – muito especialmente no domínio da genética e da fetologia – têm ampliado notavelmente o campo da bioética. Com a finalidade de estudar as complexas e vitais questões que a bioética suscita e para encontrar linhas de actuação verdadeiramente humanizantes, têm-se vindo a criar em diversos países centros ou institutos de bioética, como o Institute of Society, Ethics and Life Science (1969, mais conhecido por Hastings Center – New York), o Center of Bioethics do Instituto Kennedy (1971, Universidade de Georgetown), o Centre d´Études de Bio-Éthique, da Universidade de Lovain…

II Ciclo de CinemaVida

No próximo mês de Maio, entre os dias 15 e 22, o ISCRA vai promover o 2º Ciclo de Cinema subordinado ao tema "Vida", articulado com as subtemáticas da  "deficiência", da "doença terminal" e da "terceira idade". Promete bastante interesse no que respeita à temática dos Valores no programa de Filosofia do 10º ano. Todos os filmes serão seguidos de debate.
Para mais informações consulta o cartaz AQUI.

É chegado o momento de avaliação escrita

Durante a próxima semana irão decorrer os nossos testes de avaliação. Tal como foi dito em aula, iremos seguir de perto a matriz de conteúdos das provas nacionais intermédias (não esquecer as alterações referidas).

Podes consultar o documento do ministério aqui.
Bom trabalho!

Agora no Porto, a exposição ‘a evolução de Darwin’

"Produzida pela Fundação Calouste Gulbenkian para celebrar o bicentenário do nascimento de Charles Darwin e os 150 anos da obra "A origem das Espécies", a exposição "A Evolução de Darwin", evento inaugural das comemorações do Centenário da Universidade do Porto, estará em exibição na Casa Andresen até 17 Julho.
O objectivo da iniciativa, organizada pela Universidade do Porto em parceria com o Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos, é dar a conhecer a evolução da teoria do britânico, bem como as suas implicações nas ciências básicas e aplicadas.
A exposição poderá ser visitada de terça a sexta-feira das 10h às 18h e aos fins-de-semana das 10h às 19h."
Casa Andresen, Jardim Botânico do Porto
Rua do Campo Alegre, 1191- Porto
Tel.: 220402875
Email: expodarwin@reit.up.pt

Crossings - Imagem na Ciencia e na Arte

A não perder: exposição CorpoIMAGEM a apresentar no Pavilhão do Conhecimento, Ciência Viva, e que estará aberta ao publico durante Fevereiro e Março.

Esclarecimento: a questão da "Ética prática" no programa de filosofia do ensino secundário.

O nosso programa de filosofia passa ao lado do trabalho e do debate entre especialistas em ética no domínio prático que, ao longo de todo o século XX e mesmo já neste século, vão contribuindo para a reflexão e orientação nas acções e decisões diárias.
O item "Temas/problemas do mundo contemporâneo" não aponta para qualquer problema de "ética prática". Quanto aos temas do programa, apenas o 3º e 5º se aproximam timidamente destas áreas, o que é manifestamente pouco. O programa exprime pois uma abordagem pobre e limitada da ética prática o que, face aos objectivos gerais, é claramente contraditório.
É possível, como vários professores dizem, tornear esta questão dando o maior relevo à palavra "outros", que aparece no fim da lista dos temas do 5º ponto, podendo cada professor, a "seu jeito", tratar este item do programa. A solução tem algum relevo mas também envolve riscos quando pensamos na gestão do programa em termos de "ciclo": n…

Ética e liberdade - Kant (apontamento)

A Ética Kantiana é independente de qualquer sentido religioso: a moral exclui a noção de "intenção" como fazendo parte de uma "alma pura", e a noção de "dever" não será uma obrigação a ser seguida por orientação de um "qualquer Deus". A intenção e o dever dependem do sujeito epistemológico e não do indivíduo enquanto sujeito psicológico. Para Kant, o "sujeito transcendental" é presente em todos os homens, em todo o tempo e em qualquer lugar: possui razão, entendimento (categorias) e sensibilidade (formas puras da intuição sensível - espaço e tempo). A razão é guardiã das máximas que articulam a intenção e o dever em função da autonomia do sujeito. Porque é o sujeito o autor destas máximas, elas não podem ser negadas sem autocontradição. Daqui se conclui que a ideia da liberdade para Kant tem um carácter "sintético a priori", e sem liberdade não pode haver nenhum acto moral: somos livres porque somos obrigados pelo dever a ser…

Ciência e Ética - debate (U.P.)

Sessão apresentada pelo Pró-reitor Manuel Janeira Comissário: Vicente Ferreira da Silva Oradores: Alexandre Quintanilha, Palmira F. Silva, Vasco Pinto de Magalhães e Beatriz Porto.


Tertúlia: Consciência, Ética e Lei: que relação?

Hoje, 2 de Fevereiro, pelas 21:00 ((UTC) Dublin, Edimburgo, Lisboa, Londres) tem lugar uma tertúlia promovida pelo Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro (ISCRA) com o tema «Consciência, Ética e Lei: que relação?»
Isabel Renaud é a oradora desta iniciativa. Com entrada livre e transmissão em directo na Internet a partir do ISCRA, fazemos a retransmissão directa (live stream) aqui, no nosso Blogue.
Isabel Renaud é "professora catedrática aposentada de Filosofia da Universidade Nova de Lisboa. Ensina a disciplina de ética em Universidades portugueses desde 1968. É professora catedrática convidada no Instituto de Bioética e no Instituto das Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa. Foi Secretária de Estado do 6.° Governo Provisório. É membro fundador do Centro de Estudos de Bioética de Coimbra." in: Almedina