Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2017

Variações com janela para a Filosofia - Levi António Malho

No limiar do inútil, olhada de lado, a Filosofia é uma arte difícil num tempo marcado pela pressa, pela economia da comunicação, vamos ao que interessa, deixemo-nos de conversas moles que não adiantam nem atrasam! Só por engano a Filosofia é paixão, actividade que emagrece, tira o sono, não deixa fazer mais nada. Pelo contrário, é uma longa paciência, regressar aos locais de sempre, procurando aquilo que se não vê quando corremos o mundo com horas marcadas, fotografar à pressa, depois por entre balbúrdias mil, mostrar as “imagens” da viagem a parentes e colaterais. Na correria dos “programas”, professores e alunos visitam 2500 anos de História, entrando e saindo dos velhos gregos, desarvorando em direcção à época Moderna, acumulando teorias, argumentos, demonstrações, Gnosiologias, Lógicas, Metafísicas, Ontologias, Éticas, tudo terminando em “pontos”, classificações, apelos lancinantes à criatividade e “espírito crítico”. O filosofar é, sobretudo, um elogio da lentidão, arte da espera…

Escolhas

«De facto, acredito que, se não compreendermos as escolhas racionais que estão na base de muitos dos nossos comportamentos, não conseguiremos compreender o mundo em que vivemos.»   Tim Harford

Razão e emoção

Segundo o senso comum, a razão é o contrário da emoção. Expressões como “tem juízo”, “pensa com a razão e menos com o coração” são-nos ditas constantemente ao longo da nossa vida, por quem nos ama, quem nos ensina e quem nos aconselha, mas também por quem menos gosta de nós. Por amor ou por ódio, muitos são os que insistem em chamar-nos à razão. A ciência económica tradicional compactua com esta dualidade, considerando que o processo de decisão é composto por dois mecanismos díspares e em constante conflito: o mecanismo racional e intelectual que nos faz tomar decisões certas e o mecanismo emocional e impulsivo, muitas vezes culpado das escolhas erradas e ineficientes. Deixa no entanto para a psicologia o estudo das emoções e foca-se nas escolhas que fazemos se fôssemos seres isentos de qualquer emoção. Isto é, se fôssemos o tal homo economicus que é exclusivamente racional, que sabe o que é importante para si, que faz escolhas calculando perfeitamente os riscos, os custos, os benefí…

O emprego

Repensar o trabalho é uma reflexão que se impõe para enfrentar os desafios presentes e os do futuro. Foi através do trabalho que o ser humano, ao longo dos tempos, se organizou e se socializou, definindo o trabalho/emprego como um direito inalienável e indispensável. As mudanças que se estão desde já a sentir e que têm sido atribuídas à conjugação do aprofundamento da globalização com o avanço tecnológico, bem como as que se perspectivam para o futuro, estão a provocar alterações na produção e, consequentemente, no trabalho. Tais alterações questionam os modelos tradicionais e colocam questões a que é preciso responder, designadamente no que respeita à coesão social. É com estas palavras que começa o texto de reflexão que Eduarda Ribeiro e João Lourenço escreveram no âmbito da iniciativa Economia e Sociedade – Pensar o futuro. Por múltiplas e complexas razões o trabalho e o emprego constituem uma questão-chave a equacionar no desenho de um modelo de desenvolvimento futuro: a origem p…

Esforço inútil

Dita da forma certa, a maior banalidade torna-se axioma. Nos tempos que correm, a lógica perde para a retórica a força do argumento. Nenhuma capacidade de persuasão supera a sedução de um auditório embasbacado com lugares-comuns. Ninguém chega à verdade pelo raciocínio, mas podemos conjugar essa arte com a ligeireza do dizer. Ligeiro, sedutor, banal, o discurso logra certa aceitabilidade e a adesão do público. A entrevista, o debate, os cronómetros dos media balizam a extensão do pensamento. Dantes, discutia-se até altas horas um mesmo tema, aprofundava-se o tema, andava-se às voltas do tema sem que o tempo fosse preocupação. Os livros eram extensos e pesados. Hoje chamam-se ensaios, são como ir ao cinema e comer pipocas. A razão de tudo isto ser assim está na presunção do saber. Poucas pessoas estão dispostas a aceitar a sua ignorância, mas ninguém se dá por vencido quando toca a afirmar uma ideia de inteligência e conhecimento. Problema de auto-estima (vaidade?). Daí a necessidade …

Portugal quase no top ten da ciência europeia

Uma questão interessante é saber se a política de Passos Coelho teve um impacto negativo no crescimento da produção científica. A resposta é clara: o crescimento abrandou mesmo. A notícia dada recentemente pelo PÚBLICO de que Portugal estava no 11.º lugar noranking europeu dos países com maior número de publicações científicas por habitante só nos pode orgulhar a todos. Em duas décadas deixámos de ser um país na cauda da Europa e, colocados entre a Inglaterra e a Alemanha, chegámos perto do grupo da frente. Ultrapassámos não só a Alemanha, mas também a Espanha, a Itália e a França. Tal deveu-se não apenas ao esforço dos cientistas mas, acima de tudo, a uma política que visava sair da posição lastimável em que nos encontrávamos. O seu principal protagonista foi José Mariano Gago, que infelizmente já não está entre nós para verificar mais este seu sucesso. Ele mobilizou governo e sociedade para que uma geração de jovens pudesse mostrar os seus talentos numa área que é hoje decisiva para…

A Engenharia Genética

A importância do perguntar

Durante séculos, o ser humano é questionado sobre o que é o mais importante, saber responder ou saber perguntar, quem é o verdadeiro sábio aquele que tem respostas para tudo?, ou aquele que sabe questionar o que lhe foi imposto? O homem deve sempre agir com prudência, aquele que tem respostas para todas as questões, agindo com excesso, coloca sua reputação em perigo, pois quando não se tem o domínio sobre si próprio, ninguém irá admirá-lo, mas sim censurá-lo. A paixão dos tolos é a pressa, como não sabem o que é verdadeiro, não param para pensar. O sábio ao contrário, possui reservas de paciência, não se afoba, pois só a perfeição tem o verdadeiro valor, dando mais valor ao saber perguntar, pois assim desenvolve pensamentos, vai a busca do inimaginável, do inatingível. Os verdadeiros sábios buscam verdades e por mais difícil que seja encontrá-las nunca desistem ou pensam que não existam. Em nossas vidas também devemos procurar nossas respostas e é importante conhecermos o que foi dito…

Tempo e Temporalidade - Clóvis de Barros Filho

Zygmunt Bauman: "Há muitas maneiras de ser humano"

Afirmou recentemente que a resignação do Papa Bento XVI restaurou dignidade moral a uma Igreja em crise, no sentido de que com esse gesto o Papa mostrou que era um ser humano como qualquer outro, com as suas limitações. Como vê esta transição na Igreja católica?
É ainda muito cedo para pronunciar um veredicto. O Papa Francisco é um novo fenómeno na história da Igreja – nenhum outro, tanto quanto a memória histórica abarca, proclamou a sua fé de que a Igreja é dos pobres, deixando bem claro desde o primeiro dia do seu pontificado que pretende agir em conformidade com esse preceito. A sua declaração de intenções é particularmente seminal num tempo em que a desigualdade entre os homens, nas suas várias dimensões, cresce a uma velocidade sem precedentes, constituindo um dos mais graves (talvez o mais grave) problemas com que o mundo se confronta actualmente e no futuro próximo. Diversas fontes têm insinuado que o Papa Francisco foi eleito para ser um líder de curto prazo – devido a divergê…

Zygmunt Bauman - A fluidez do 'mundo líquido'

Zygmunt Bauman - sobre os laços humanos, redes sociais, liberdade e segurança

Crise, ideologia e guerra mundiais

O que se espera da crítica social emancipatória nesta situação de um limite interno histórico do capitalismo é a redefinição de socialismo, para lá das formas fetichistas da mercadoria, do dinheiro, do Estado nacional e das relações de género que lhes estão associadas. Porém, na medida em que a esquerda, em vez disso, regressa aos seus velhos padrões de interpretação e procura uma nova "força" imanente às novas constelações mundiais, susceptível de ser ocupada positivamente, ela própria ameaça tornar-se reaccionária. Nestas circunstâncias, a crítica do capitalismo converte-se muitas vezes em anti-americanismo e anti-semitismo aberto ou estrutural. As "formas de pensamento objectivas" (Marx) do fetiche capital, que incluem uma "inversão da realidade", constituem (se não forem destruídas) o fundamento para uma digestão ideológica da crise, como a que já no período entre as duas guerras levou a resultados devastadores. No contexto da globalização do capital…

CNECV alerta para «problemas éticos complexos» na manipulação genética de embriões

O Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV) considera que a autorização dada
pela Comissão de Licenciamento da Autoridade de Fertilização Humana e de Embriologia, do Reino Unido, para a manipulação e modificação genética de embriões «suscita problemas éticos muito complexos». Numa tomada de posição, o CNECV alerta para o facto de a investigação «implicar a destruição dos referidos embriões humanos, bem como riscos imprevisíveis e potencialmente irreversíveis que a modificação do genoma, se conseguida, poderá ter no pool genético da espécie humana».  O Conselho Nacional evidencia igualmente que «na ausência de consenso científico sobre as suas consequências, os usos potenciais destas novas tecnologias devem ser abordados com extrema prudência recorrendo a um princípio de precaução que acautele o seu impacto sobre as gerações presentes e futuras». Esta é uma reação que vem na sequência da aprovação de um pedido de uma investigadora do Instituto Francis Crick, com sede …

Manipulação genética e Bioética

Craig Mello, cientista da Universidade do Massachusetts (EUA), hoje com 55 anos, recebeu o Prémio Nobel da Medicina em 2006 pela descoberta de um autêntico “motor de busca” celular que, à maneira do Google, permite que as células consigam encontrar e controlar (inactivando ou removendo), dentro da gigantesca massa de material genético que possuem, qualquer sequência-alvo de “letras” do código genético. De passagem por Lisboa há uns dias, falou com o PÚBLICO dos avanços recentes e das potenciais aplicações das novas técnicas de manipulação genética desenvolvidas com base nestas maquinarias naturais das células vivas.

Recebeu o Nobel em 2006 pela descoberta do mecanismo de “ARN de interferência”. Pode explicar brevemente do que se trata?
As células vivem na idade da informação há milhares de milhões de anos. Portanto, precisam de ter maneira pesquisar informação e para isso desenvolveram uma série de maquinarias muito parecidas com o Google, que nós utilizamos para fazer pesquisas na Web…

Não é fácil ser ético

Não é fácil ser ético. Parece, mas não é. A maior parte das pessoas refere a boa educação, a cultura, um bom berço, no qual se tenha recebido os princípios que nos vão guiar ao longo da vida. E, de facto, isso ajuda. É mesmo a base, mas não chega para resolver as questões da nossa vida de todos os dias, seja ela profissional ou pessoal. Em 2014, no final do ano, pedi ao meus alunos do IST que escrevessem os seus compromissos éticos, enquanto profissionais. O que alguns deles escreveram comprova o que acabei de referir: “tenho a total certeza que, se ao longo da minha vida seguir os valores transmitidos pelos meus pais, serei feliz, terei a consciência limpa e nunca passarei uma noite mal dormida por remorso ou culpa”. De um ponto de vista empresarial, a questão também parece simples. No final da maioria dos códigos de ética ou conduta, há um conjunto de perguntas do tipo: “Está de acordo com a lei?”, “Está de acordo com as regras da empresa?”, “Sentir-se-ia confortável se se soubesse …

Salvaguardar a dignidade humana

- Uma das questões que mais preocupa os que se preocupam – e passe o pleonasmo – com os progressos acelerados na inteligência artificial, na biomedicina ou na nano ou biotecnologia, entre muitas outras, prende-se com a possibilidade de as mesmas poderem ser utilizadas tanto para o bem como para o mal. E sendo este também um dos objectivos sublinhados pelo comissário Carlos Moedas aquando da “renovação” do EGE – o de se garantir que a inovação deverá servir o bem da humanidade e das gerações futuras – qual a sua visão no que a esta questão diz respeito: mais optimista ou pessimista, e porquê?
- Na minha opinião, só pode trabalhar nesta área quem tem uma visão optimista da forma como o progresso da ciência pode também representar o progresso do ser humano. Caso contrário, qual seria a utilidade do nosso trabalho? Estou certa que, tal como aconteceu até agora, e temos vários exemplos de hipérboles relativamente ao denominado “admirável mundo novo”, o exemplo da clonagem e das células esta…

As TIC e o emprego no feminino

Na União Europeia, apenas 16% dos 8 milhões de pessoas que trabalham na área das TIC são mulheres. De acordo com o Eurostat, cerca de 8 milhões de pessoas estavam empregadas na UE como especialistas em TIC em 2015, representando 3,7% de todo o mercado de trabalho europeu. As mulheres encontram-se particularmente sub-representada, os números mostram que apenas 1.2 milhões de pessoas que trabalham no setor das tecnologias são do sexo feminino, o que corresponde a 16,1% do mercado laboral das TIC na UE. Entre os piores resultados estão países como a Republica Checa (9,9%) a Eslováquia (11,4%) e a Hungria (11,95), com menos de 12%. Entre os melhores aparecem a Bulgária (27,7%), a Roménia (27,2%) e a Letónia (24,7%). Portugal está próximo da média europeia no número de mulheres especialistas nas áreas das tecnologias, com 15,3%.
in acegis.com

Empresas e responsabilidade social

O que é então a ética da empresa e em que medida pode liderar o sentido da responsabilidade social? A empresa, lugar de origem de múltiplos relacionamentos, reflecte as alterações de comportamento dos indivíduos face às instituições tradicionais anteriormente responsáveis pela formação da sua identidade. A sociedade pós-moderna, ao determinar perda de influência das instituições tradicionais, faz emergir a empresa como centro do movimento social, incluindo-se neste contexto o plano económico. A empresa produz bens, é um difusor de saber e gera empregos, de modo que a forma de actuação das empresas influencia o comportamento dos indivíduos. Esta acção ultrapassa o âmbito directo da actividade empresarial quando o processo de influência atinge o plano das instituições políticas, expandindo a sua orientação à comunidade. A todos os níveis, as decisões das organizações empresariais interferem com os contextos comunitários. Por isso, importa observar a ética empresarial como um modo de act…

Responsabilidade: o presente que antecipa o futuro da acção humana

Após a identificação das transformações susceptíveis de explicar as novas vagas de preocupações éticas, bem como os fundamentos para renovados valores éticos que interagem com as necessidades humanas, será necessário considerar a reflexão ética de forma tão premente quanto problemática, se se entender que esta é a ultima justificação para a procura de novos valores.  Os valores éticos do nosso tempo suscitam uma observação paradoxal. Se por um lado a evolução tecnológica assenta em modelos de crescimento numa base de quantificação que transforma as necessidades humanas em necessidades de objectos, não é menos verdade que matérias do foro da intimidade, como a saúde, a liberdade ou a amizade, são bens não comercializáveis, portanto, não quantificáveis, e que levam o homem a prosseguir os seus próprios fins. É nesta conexão que encontramos a carência ética que destaca a instrumentalização dos meios técnicos sem atender ao peso dos fins humanos. Sendo certo que os valores éticos nunca f…