Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2011

Democracia e Filosofia política

"A filosofia política em tempos democráticos tem perante si um desafio:
assegurar a sua presença e a sua pertinência, mas sem ceder à pressão da respeitabilidade, que não é menos do que o primeiro passo para a usurpação da ideologia. Tem de ser fiel a si mesma e, embora não ambicionando a respeitabilidade, ser responsável. Tem de acompanhar as regras do regime político, sem se deixar vergar por elas. Para ser responsável e verdadeira não pode confundir o afastamento que previne a usurpação ideológica com o reconhecimento do valor da democracia. No seu compromisso com a responsabilidade e com a verdade, a filosofia política reconhece e elogia a extraordinária destreza prática da democracia e discerne sem ambiguidades a inferioridade dos seus inimigos históricos, não só das alternativas passadas dos fascismos e dos bolchevismos, mas também das sempiternas tentações do devaneio romântico de fazer da política e da cidade o balão de ensaio para momentos poéticos de inspiração. Mas dev…

Educação ambiental - Philippe Layrargues

"A educação ambiental é um vetor de mudança social? Tudo indica que sim. Faz cerca de trinta anos que nos acostumamos com a idéia da necessidade da inclusão da dimensão ambiental na Educação, como uma reação do sistema educativo à crise ambiental. Nesse período, uma conjunção de fatores (como a concepção naturalista de meio ambiente, o predomínio de profissionais oriundos da biologia como educadores ambientais, o predomínio de órgãos governamentais ambientais como proponentes de políticas e programas de educação ambiental, a omissão científica na incorporação da educação ambiental como um objeto de estudo da sociologia ambiental e da sociologia da educação) acarretou na ecologização da educação ambiental, moldando-a conforme o modelo de uma educação conservacionista, confundida muitas vezes com o ensino de ecologia, quer dizer, o estudo da organização estrutural e funcionamento dos sistemas ecológicos, embora agora atravessado pela percepção da fragilidade de tais sistemas em fun…

Dia da Terra - Um pretexto para a reflexão ecológica

"Amanhã, 22 de Abril, celebra-se o Dia da Terra.
O Dia da Terra foi criado pelo activista ambiental Gaylord Nelson e foi celebrado pela primeira vez a 22 de Abril de 1970, e tem a finalidade de criar uma consciência comum aos problemas da poluição, da conservação da biodiversidade e outras preocupações ambientais para proteger a Terra.
Em Portugal, a Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza, relembra nesta data a importância da cidadania e de toda a sociedade em assumirem comportamentos e políticas que assegurem uma cada vez melhor qualidade de vida das populações, sem prejuízos agravados para as futuras gerações, preservando e inclusive reabilitando os valores naturais.
Infelizmente, para além da insustentabilidade financeira de muitos projectos desenvolvidos em Portugal nos últimos anos, os custos ambientais para a conservação da natureza têm sido também enormes. As auto-estradas com pouco tráfego atravessando áreas sensíveis, as vias que estimularam o uso do auto…

Tecnologia e responsabilidade ética - Carl Mitcham

"Uma das preocupações mais frequentes em relação a determinadas tecnologias é o perigo que representam para a responsabilidade humana.
A dependência dos computadores, por exemplo, nos processos de diagnóstico médico ou nos sistemas estratégicos de defesa antimíssil opera uma transferência da responsabilidade, em termos práticos, das pessoas para a programação informática. Mas os mesmos sistemas informáticos que assumem a responsabilidade prática pelo diagnóstico clínico ou pelo sistema de defesa remetem para o exercício de um ideal de responsabilidade superior de quem os concebe e utiliza. É precisamente por a tecnologia exigir tanta responsabilidade a nível ideal que os observadores são tão sensíveis à questão na sua vertente prática. Não é ponto assente, por exemplo, que os computadores tenham de alguma forma assumido responsabilidades que anteriormente pertenciam aos humanos. Poderiam os médicos há dois séculos ser responsáveis pelo diagnóstico e tratamento da miríade de doenç…

A verdade das mentiras - Ética Política

“A mentira política instalou-se nos nossos
povos quase constitucionalmente e o dano
moral tem sido incalculável, alcançando
zonas muito profundas do nosso ser.
Movemo-nos na mentira com naturalidade.”

Octávio Paz

"(...) A grande verdade da nossa época (só seu conhecimento em nada nos faz avançar, mas sem ela não se pode alcançar nenhuma outra verdade importante) é que o nosso continente se afunda na barbárie porque nele se mantêm pela violência determinadas relações de propriedade dos meios de produção. De que serve escrever frases corajosas mostrando que é bárbaro o estado de coisas em que nos afundamos (o que é verdade), se a razão de termos caído nesse estado não se descortina com clareza? É nossa obrigação dizer que, se se tortura, é para manter as relações de propriedade. Claro que ao dizermos isso perdemos muitos amigos; aqueles que são contra a tortura porque julgam ser possível manter sem ela as relações de propriedade (o que é falso).
Devemos dizer a verdade sobre as condições…

9º Encontro Nacional de Professores de Filosofia

"Autenticidade" - por José Luís Nunes Martins

Passamos grande parte da vida a simular ser quem não somos. Fugimos da autenticidade porque acreditamos que aquilo que desejamos é mais valioso do que a realidade. Queremo-lo de tal forma que assumimos na vida quotidiana a verdade sonhada como já realizada. Com o tempo aperfeiçoamos a mentira... Criamos más caras cada vez mais convincentes e coerentes do engano que somos - querendo ser quem não somos. E é triste e injustamente que assim nos condenamos à solidão.
Este mal enraíza-se na ideia de que somos pobres. Mas o erro está em assumir a simplicidade e a pureza originais como carências. Um dia qualquer, sem porquê, caem as máscaras que nos conservam à superfície do que ditamos ao mundo... e caímos no fundo do aquém disfarce. Nós.
Por breves momentos sofreremos uma espécie de deslumbramento, habituados que estávamos à meia-luz. Mas rapidamente descobrimos que ainda há tempo para sermos felizes.
A humildade é a forma de a autenticidade celebrar a verdade.
A verdade apanha-nos. Será só…

Francesco Alberoni: A lição esquecida do Império Romano

 "A Europa está hoje como se encontrava na última fase do império: a economia está estagnada, a taxa de natalidade é cada vez mais baixa, a população envelheceu. Há que agir, com bom senso. O período que estamos a viver na Europa assemelha-se à última fase do Império Romano, quando a economia estava estagnada, o exército era demasiado caro para poder ser sustentado e havia uma redução significativa da população. O vazio criado foi preenchido por povos germânicos que começaram por se infiltrar pacificamente no império para, em seguida, serem recrutados para as legiões e acabarem por invadir o império com suas próprias armas. Da mesma forma, a Europa de hoje apresenta um desenvolvimento económico reduzido, uma burocracia demasiado dispendiosa e uma baixa taxa de natalidade que resulta no óbvio envelhecimento da população. O vazio está a ser preenchido por pessoas jovens e prolíficas que vêm de diferentes países do mundo menos desenvolvido - em particular do Norte de África, de onde …

Adriano Moreira: Sociedade atravessa «crise terrível» porque não tem valores

 "A sociedade actual está a atravessar «uma crise terrível» porque afastou os valores do programa de formação, limitando-se a ser uma sociedade de informação e do saber. As palavras são de Adriano Moreira e foram proferidas na intervenção proferida esta segunda-feira na sessão solene que assinalou o centenário do Liceu Passos Manuel, em Lisboa. «O conceito europeu de formação neste momento e o que consta do programa europeu é que estamos obrigados a formar uma sociedade da informação e do saber e a minha crítica é que falta acrescentar a sabedoria, que são os valores», sustentou Adriano Moreira. Ex-aluno daquela escola, Adriano Moreira foi convidado a dar uma lição de honra perante várias dezenas de pessoas que encheram o anfiteatro do estabelecimento para o ouvirem dissertar sobre os desafios da Educação. «A sociedade ocidental está a sofrer uma crise terrível de relativismo e decadência justamente porque a sociedade não pode ser apenas da informação e do saber, também tem de s…

Na vida humana, toda a idade é humana - por Luís Silva

 Portugal assistiu, neste contexto de III República, a dois referendos a pretexto da liberalização da prática do aborto: em 1998 e em 2007. Merecendo séria e coerente discussão a legitimidade da sua realização – atendendo a que entregou à decisão de maiorias a deliberação sobre se a vida de alguém poderia fazer-se de conta que não merecia protecção -, contudo, estes referendos serviram para constatar o carácter movediço dos argumentários que tentavam legitimar aquilo que a razão demonstrava ser insofismável: que a vida humana é um contínuo e, como tal, são inconsequentes todos os argumentos que procuram definir um critério subjectivo para marcar se estamos diante de uma vida humana ou não. Ouviram-se argumentos estranhos como os daqueles que se referiam ao filho em desenvolvimento como sendo «uma coisa que a mulher tem dentro de si» ou «aquela parte do corpo da mulher que tem um código genético diferente do dela». Alguns foram, mesmo, mais longe, argumentando que, enquanto não há dor…